Acesse nossa página de dúvidas para saber como comprar produtos, solicitar um representante entre outros. Escolha:
- F.A.Q: Formulários
- F.A.Q: Impressos Fiscais
- F.A.Q: Bobinas
 
Além de Goiânia e Goiás, atendemos também encomendas para todo Brasil.
Veja se tem um representante próximo de você!    Veja...
 
 
   
Dúvidas - Bobinas

BOBINAS TERMOSCRIPT
Lisa ou Personalizada

57 x 40 mts
80 x 40 mts
89 x 40 mts
Largura padrão x metragem

Utilização: Impressora térmica
para emissão de comprovante
de pagamento.

BOBINAS AUTOCOPIATIVAS: 2 E 3 VIAS
Lisa ou Personalizada

57 x 22 mts – 2 vias
69 x 22 mts – 2 vias
76 x 22 mts – 2 vias
89 x 22 mts – 2 vias
76 x 14 mts – 3 vias
89 x 14 mts – 3 vias

Largura padrão x metragem

Utilização:
Terminais de PDV

BOBINAS APERGAMINHADO – 1 VIA
Lisa ou Personalizada

57 x 40 mts
69 x 40 mts
76 x 40 mts
89 x 40 mts

Largura padrão x metragem

Utilização:
Terminais de PDV e Calculadoras.

   

 

bobina cotepe

 

De acordo com os novos padrões as bobinas de papel térmico para impressora ECF deverá seguir os requisitos técnicos abaixo:

1 - Possuir uma única via;

2 - Conter, na frente, tarja de cor diferente da do papel, no fim da bobina, com 20 cm a 50 cm de comprimento;

3 - Na extremidade livre da bobina deve ser afixada etiqueta adesiva com a impressão da expressão “PARA USO EM ECF;

4 - Conter na frente, nos primeiros 10 cm de comprimento, a impressão da expressão “PARA USO EM ECF”;

5 - Conter, no verso, impresso ao longo de toda bobina, com espaçamento máximo de três centímetros entre as repetições, em uma das laterais, sequencialmente, os seguintes dados:

       a - A expressão “PARA USO EM ECF”;

       b - O comprimento da bobina;

       c - O número de inscrição no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica do fabricante da bobina (convertedor);

       d - O número e ano, no formato “nnn/aaaa”, do Ato COTEPE/ICMS de credenciamento do fabricante da bobina (convertedor) e registro do papel, conforme disposto no § 1º do art. 9º;

Na outra lateral, a seguinte mensagem de instrução ao consumidor: “Os dados impressos tem vida útil de 5 anos desde que se evite contato direto com plásticos, solventes ou produtos químicos, bem como a exposição ao calor e umidade excessiva, luz solar e iluminação de lâmpadas fluorescentes”.

*Para mais informações ligue para uma de nossas atendentes

Nova lei sobre o registro de ponto Eletrônico (REP). A portaria 1.510/2009 do Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, exigirá que a partir de 01 de Abril de 2012, o equipamento de Registro de Ponto ELETRÔNICO (rep). Imprima comprovantes com dados de registros dos trabalhadores! Com horários de entrada e saída registrados.
Segundo a regulamentação, este papel deverá ser guardado por até 5 anos (Art.4°, paragráfo lll da portaria 1.510/2009).

Não. É obrigatória a emissão de um comprovante a cada batida.

Não. A emissão do comprovante será exigida a partir do momento em que a empresa começar a utilizar o REP. O prazo de utilização do REP depende da atividade econômica do empregador. Aqueles que exploram atividades na indústria, no comércio em geral, no setor de serviços, incluindo, entre outros, os setores financeiro, de transportes, de construção, de comunicações, de energia, de saúde e de educação são obrigados a usar o REP a partir do dia 02/04/2012. Os empregadores que exploram atividade agro-econômica nos termos da Lei n.º 5.889, de 8 de julho de 1973 são obrigados a usar o REP a partir do dia 01/06/2012 e as microempresas e empresas de pequeno porte, definidas na forma da Lei Complementar nº 126/2006 são obrigadas a utilizar o REP a partir do dia 03/09/2012. (texto atualizado)

A impressão é em uma via

No processo de certificação do equipamento, é verificado o atendimento da Portaria, em relação ao artigo 4º, inciso III, que disciplina a durabilidade da impressão. Portanto, o empregador deverá obter a informação junto ao fabricante do REP ou na SEFAZ das especificações do papel que deverá utilizar e buscar no mercado produto que atenda às mesmas. O empregador é o responsável caso não utilize o papel recomendado.

a. AFD - Arquivo Fonte de Dados - gerado diretamente pelo REP mediante comando do auditor-fiscal do trabalho;
b. Relatório Instantâneo de Marcações - gerado diretamente pelo REP mediante comando do auditor-fiscal do trabalho;
c. AFDT - Arquivo Fonte de Dados Tratados, quando solicitado pelo auditor-fiscal do trabalho;
d. ACJEF - Arquivo de Controle de Jornada para Efeitos Fiscais, quando solicitado pelo auditor-fiscal do trabalho;
e. Relatório Espelho de Ponto, quando solicitado pelo auditor-fiscal do trabalho;
f. Atestado Técnico e Termo de Responsabilidade fornecido pelo fabricante do REP. Um para cada equipamento utilizado pelo estabelecimento, quando solicitado pelo auditor-fiscal do trabalho;
g. Atestado Técnico e Termo de Responsabilidade fornecido pelo desenvolvedor do Programa de Tratamento, mesmo que seja desenvolvido internamente pela empresa, quando solicitado pelo auditor-fiscal do trabalho.
 
Lider Formulários e Bobinas       A mais de 40 anos!     62 3283-2323